Cardápio para bebês e crianças!

Publicado por

Bebê-e-frutas

Hoje vamos tratar de um assunto que é fundamental para o desenvolvimento dos nossos filhos: a alimentação.

Tenho certeza de que assim que o seu bebê deixou de se alimentar exclusivamente com leite, sua maior preocupação passou a ser como lhe fornecer alimentos saudáveis, nutritivos e atrativos. Essa tarefa passa a ser um desafio para os pais.

Digo isso, porque se trata de um momento de transição delicado. É nessa fase que poderemos nos deparar com os primeiros sinais de intolerâncias e alergias alimentares, assim como cair na tentação de facilitar nosso trabalho, fornecendo os chamados alimentos práticos: sucos e achocolatados em caixinha, petit suisse, biscoito recheado, salgadinhos industrializados, entre outros alimentos com valor nutricional muito pobre, mas rico em açúcar e sal.

Além do mais, esse é o momento ideal para criar o hábito de uma alimentação saudável nos pequenos, já que, nessa fase, eles aceitam facilmente os alimentos, pois o paladar ainda não está tão aprimorado e desconhecem os sabores dos alimentos mais atrativos, como os que contêm altas concentrações de sal, açucares e gorduras trans.

Antes de qualquer coisa, é preciso entender que se alimentar de forma saudável é um hábito que não se alcança da noite para o dia, especialmente para os adultos, por isso se fala tanto em reeducação alimentar. Mas, no caso das crianças, isso pode ser muito simples. Costumo dizer que os bebês são como o HD de um computador novo. Eles vêm praticamente vazios de informações e cabe a você alimentá-lo com o que julgar necessário. É exatamente assim que acontece com nossos bebês. Eles não têm memória de sabores. Essa vai se formando, como qualquer memória, de acordo com as experiências vividas. E cabe a você proporcionar o maior número de experiências possíveis ao seu bebê, desde que todas elas sejam saudáveis.

No entanto, apesar de todo o seu esforço, devo alertar que muito em breve seu filho terá desenvolvido seus próprios interesses alimentares. E não será nenhum pouco estranho se ele rejeitar aquela nutritiva papinha de beterraba que, há pouco tempo, comia com muita satisfação. É assim mesmo! Eles crescem e passam a ter vontades e interesses próprios. Mas, até lá, você já teve a oportunidade de influenciá-lo positivamente com seus bons hábitos alimentares.

Um outro detalhe que não se pode deixar de lado é que a alimentação da família, principalmente a dos pais e irmãos, também deve seguir esse padrão de saúde e nutrição. A educação funciona por repetição de hábitos. Essas pessoas são espelhos para os nossos pequenos. Portanto, se deseja que seus filhos tenham hábitos alimentares saudáveis, comece a eliminar os alimentos nocivos do cardápio da família e inclua o que há de mais saudável. Esse é o primeiro passo.

Bem, considerando que não se trata de tarefa fácil, listei dez dicas que irão ajudar e orientar os papais a introduzir e manter bons hábitos alimentares com os pequenos.

  1. O aleitamento materno deverá ser exclusivo, quando possível, até o sexto mês de vida do bebê. Isso significa que as crianças que mamam no seio não precisam, se quer, de água, muito menos de sucos, chás ou outras bebidas.
  2. Os sucos poderão ser introduzidos a partir do sexto mês, devendo ser fornecidos in natura (jamais os de caixinha/artificiais); preferencialmente no copinho (evite mamadeira);  na dose máxima de 100ml/dia; de preferência, após as refeições e não em substituição a essas.
  3. As papinhas doces e salgadas também já podem ser fornecidas ao bebê a partir do sexto mês de vida. A base desses alimentos são legumes amassados e caldos proteicos (frango, carne ou peixe). Num segundo momento, quando a criança já tem dentinhos, é possível introduzir as carnes bem desfiadas. Os legumes deverão ser amassados com garfo. Jamais use liquidificador, processador ou qualquer equipamento que deixe as papinhas liquefeitas. E lembre-se, apesar da denominação, as papinhas doces não recebem açúcar e as salgadas, só uma pitada de sal, quando muito.
  4. Até os dois anos de idade não se deve adicionar açúcar aos alimentos das crianças. E não caia na teoria de que está sendo cruel ao privar seu filho do doce. Acredite: eles são incapazes de sofrer por algo que não conhecem.
  5. Ao introduzir novos alimentos na dieta do bebê, prefira servi-los individualmente. Por exemplo: se vai preparar um purê de legumes, escolha um só tipo de legume. Somente depois de ter testado aquele alimento, será possível adicioná-lo a outro com segurança. Assim, você poderá identificar qual alimento terá causado uma reação indesejada, caso ela ocorra.
  6. No caso de viagens ou situações em que a família tenha que realizar suas refeições fora de casa, e quando for possível, prefira levar as papinhas do bebê já preparadas, mesmo que congeladas.
  7. Tente seguir rigorosamente os mesmos horários das refeições do bebê, respeitando o intervalo de, no máximo, 3 horas.
  8. Evite ofertar alimentos exóticos, pouco comuns e suscetíveis a causar reações alérgicas, como os crustáceos, especialmente se estiver em lugares com dificuldade de acesso a unidades de atendimento à saúde.
  9.  Não se esqueça de que alguns alimentos são inapropriados para crianças pequenas, como ocorre com o mel, que é proibido para crianças menores que um ano de idade. Na dúvida, pesquise, pergunte ao pediatra, busque informação.
  10. Aos poucos e de acordo com o desenvolvimento da criança, ela pode e deve seguir o cardápio regular da família, participando das refeições como qualquer membro familiar, devendo sentar-se à mesa, em cadeira apropriada que lhe garanta segurança e conforto, assim como deverá ser estimulada a manusear copos e talheres apropriados para sua idade.

alimentação-do-bebe-papinha-732x350

A seguir, apresento algumas sugestões de cardápio semanal que consideram cada fase de desenvolvimento das crianças. Eles foram extraídos do livro a SAÚDE DOS NOSSOS FILHOS, manual sobre a saúde infantil, organizado pelo Hospital Albert Einstein.

Crianças de 6 a 12 meses

Seg.

Ter.

Qua.

Qui.

Sex.

Sab.

Dom.

Desjejum

Leite materno ou artificial Leite materno ou artificial Leite materno ou artificial Leite materno ou artificial Leite materno ou artificial Leite materno ou artificial Leite materno ou artificial

Lanche da manhã

Suco de laranja-lima Suco de melão com pera Suco de laranja-lima com beterraba Suco de pera com banana Suco de laranja-lima com cenoura Suco de melancia Suco de maçã com mamão

Almoço

Papa de caldo de feijão, arroz, gema cozida, escarola e abóbora Papa de carne magra, caldo de lentilha, beterraba e vagem Papa de caldo de feijão com macarrão, gema cozida e abobrinha Papa de fígado, batata, tomate e brócolis Papa de coxão mole, fubá, caldo de feijão e abobrinha Papa de peixe espinafre e batata Papa de carne, escarola cenoura e arroz

Lanche da tarde

Pera raspada + leite materno ou artificial Mamão papaia com aveia + leite materno ou artificial Maçã com banana e cereal + leite materno ou artificial Caqui amassado + leite materno ou artificial Abacate amassado + leite materno ou artificial Banana amassada com cereal + leite materno ou artificial Manga amassada + leite materno ou artificial

Jantar

Papa de canoura, arroz, carne magra e espinafre Papa de peito de frango com abóbora e macarrão Papa de carne com macarrão e abobrinha Papa de frango, couve, cenoura e abobrinha Papa de carne magra, couve, batata, cenoura e aveia Papa de frango com legumes e macarrão Papa de frango com mandioquinha e agrião

Ceia

Leite materno ou artificial Leite materno ou artificial Leite materno ou artificial Leite materno ou artificial Leite materno ou artificial Leite materno ou artificial Leite materno ou artificial

Crianças de 1 a 2 anos

Seg.

Ter.

Qua.

Qui.

Sex.

Sab.

Dom.

Desjejum

Leite materno ou artificial + bisnaga de geleia de fruta Leite materno ou artificial + pão de forma com requeijão Leite materno ou artificial + sequilhos Leite materno ou artificial + pão integral Leite materno ou artificial + pão de batata Leite materno ou artificial + pão simples Leite materno ou artificial + pão de forma

Lanche da manhã

Pera ou suco Banana ou suco Melão ou suco Mamão ou suco Maçã ou suco Manga ou suco Kiwi ou suco

Almoço

Arroz, feijão, frango desfiado refogado, abobrinha cozida + água Arroz integral, feijão, carne moída refogada, beterraba e vagem cozidas + água Arroz verde (cozido com espinafre), frango em cubos, purê de legumes + água Arroz, feijão, carne de panela desfiada, couve flor sauté + água Macarrão no azeite, peixe grelhado, cenoura refogada + água Arroz, feijão, almôndegas ao sugo, couve refogada + água Arroz, lentilha, iscas de carne com molho, mandioquinha cozida + água

Lanche da tarde

Purê de fruta com aveia + leite materno ou artificial Iogurte, biscoito doce e fruta Leite batido com fruta e bolo simples Cereal com leite e fruta Salada de frutas com iogurte Banana amassada com aveia + leite materno ou artificial Fruta, biscoito integral + leite artificial

Jantar

Arroz, feijão, peixe ensopado, purê de cenoura + fruta Arroz, feijão, iscas de frango, milho refogado + fruta Arroz, feijão, bife de panela, acelga, refogada + fruta Arroz, lentilha, frango ensopado com batata + fruta Arroz, feijão, carne cozida com legumes + fruta Arroz, feijão, omelete com espinafre + fruta Macarrão à bolonhesa, brócolis sauté + fruta

Ceia

Leite materno ou leite artificial Leite materno ou leite artificial Leite materno ou leite artificial Leite materno ou leite artificial Leite materno ou leite artificial Leite materno ou leite artificial Leite materno ou leite artificial

Crianças de 2 a 5 anos

Seg.

Ter.

Qua.

Qui.

Sex.

Sab.

Dom.

Desjejum

Leite batido com mamão, bisnaga com queijo branco Leite com achocolatado, pão integral com queijo cremoso Leite batido com maçã, pão de forma com geleia Leite batido com banana, torrada com requeijão Leite com achocolatado, pão francês com queijo branco Leite Iogurte de frutas (pronto para consumo), bolacha integral com margarina Leite com achocolatado, pão integral com requeijão

Lanche da manhã

Maça Banana Pera Melão Mamão Nectarina Uva

Almoço

Arroz, feijão, isca de carne com molho, cenoura e ervilhas refogadas, salada de alface e tomate + fruta Arroz, lentilha, frango grelhado, batata sauté, salada de escarola com tomate + fruta Arroz à grega, peixe, grelhado, salada de alface e beterraba raladas + fruta Macarrão no azeite, brócolis, frango em cubos, salada de acelga com tomate-cereja + fruta Arroz com cenoura, feijão, bife de panela, espinafre refogado, salada de alface roxa com pepino + fruto Arroz, feijão, frango ensopado com batatas, escarola refogada, salada de cenoura e beterraba raladas + fruta Arroz, feijão, peixe ao forno com legumes, salada de alface e tomate + fruta

Lanche da tarde

Leite com cereal + fruta Suco de mamão com laranja e bolo simples Leite com achocolatado e pão de batata Suco de laranja com cenoura e pão de queijo Suco de abacaxi e bolo simples Leite com cereal + fruta Leite com achocolatado e biscoito de leite

Jantar

Macarrão ao sugo, frango, assado, espinafre refogado + fruta Arroz, feijão, carne moída com ovo, abobrinha refogada + fruta Arroz, feijão, almôndegas ao sugo, purê de legumes + fruta Arroz, feijão, bife rolê, couve refogada + fruta Pescada grelhada, purê de batata, salada de legumes + fruta Arroz de cenoura, picadinho de carne com batata + fruta Panqueca de carne com molho, brócolis refogado + fruta

Um detalhe de significativa importância deve ser observado da leitura das tabelas. Percebam que o leite materno ou artificial (fórmula láctea) se faz muito presente até a criança completar dois anos de idade, e passa a ser exigido com menos rigor depois dessa faixa etária. Portanto, mesmo as crianças que já não mamam no seio e se alimentam de papinhas doces e salgadas necessitam do leite, que é fonte de cálcio e outros nutrientes importantes.

Uma outra questão que se deve levar em consideração ao fazer uso do cardápio é a disponibilidade desses alimentos em cada região. Muitas vezes, uma determinada fruta é facilmente encontrada em uma localidade e escassa em outra. Assim, vale fazer substituições e adaptações para adequar o cardápio dos pequenos à realidade local de cada família.

Como falei anteriormente, essas são apenas sugestões e não uma dieta que deverá ser seguida à risca. Na verdade, minha intenção ao partilhar essas tabelas foi a de demonstrar a variedade de alimentos que poderemos adotar para incrementar a alimentação dos nossos filhos. Não precisamos, nem devemos ficar na mesmice. A variação estimula o interesses pelos alimentos, permite que o paladar das crianças se adapte a novos sabores e garante um valor nutricional mais rico para as refeições.

Então, experimentem cada um desses sabores com seus pequeninos e me contem como foi a aceitação. Desejo que tenham sucesso.

Beijos e até o próximo posto!

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s