Dicas de boas maneiras para visitar um rescém-nascido

Publicado por

visita-recem-nascido

Hoje, resolvi tratar de uma assunto que me incomoda um pouco: a maneira como as pessoas se comportam quando vão visitar um recém-nascido.

O nascimento é um momento de grande alegria, que deve ser compartilhado e festejado com a família e amigos mais íntimos, sim. O problema é que as pessoas não compreendem que é também um momento delicado, de dificuldades, de descoberta e aprendizado para a pais e bebê e, muitas vezes, de sofrimento.

É claro que pessoas próximas podem vivenciar um pouco da alegria que representa a nova fase da família. Elas podem, inclusive, contribuir para o bem estar da mulher, já que é muito comum que ela se sinta isolada, sobrecarregada e, por consequência, precisando de alguém para conversar. Nessas horas, as pessoas queridas podem fazer um bem enorme. Mas, para que essa visita surta efeitos positivos, algumas medidas devem ser adotadas e outras evitadas. Quem já é mãe sabe do que estou falando.

Como muitos dos meus leitores ainda não têm filhos, decidi compartilhar algumas dicas de comportamento que podem ajudar a tornar o momento da visita mais agradável e colaborativo.

Inicialmente, devo informar que as medidas aqui descritas não são somente fruto da minha experiência. Realmente, algumas delas são reflexo do comportamento das pessoas que vieram nos visitar após o nascimento da minha filha, mas outras surgiram de relatos em rodas de conversa com as amigas. No geral minha visitas foram bem educadas e não tive muito do que me queixar.

Então, vamos às dicas!

  1. Não visite no dia do nascimento, exceto se for uma pessoa muito próxima da família e não tiver outra oportunidade. A avó da criança, por exemplo. Elas não conseguem esperar, nem seria justo fazer isso com criaturas tão cheias de amor. Essa regra vale, independentemente de o parto ter sido cesariana ou normal. Após o parto tudo o que a mulher precisa é de descanso;
  2. Se você estiver acompanhando a gravidez, o melhor é perguntar à gestante o que ela prefere, ser visitada no hospital ou em casa;
  3. Se a visita for em casa, o melhor é esperar o bebê completar um mês de vida, assim a família já estará mais habituada com os cuidados e rotina com a criança;
  4. Jamais visite sem avisar. O ideal é ligar e perguntar à família qual é o melhor dia e horário para fazer a visita;
  5. Faça visitas rápidas, que durem o tempo suficiente para conhecer o bebê e saber como a família está. Não deixe que o encontro se estenda tanto. Lembre-se de que os pais estão exaustos.
  6. Não faça visitas à noite, exceto se a família preferir. Em regra, esse é o pior horário para se visitar um bebê recém-nascido. Nesse horário, os pais já estão exaustos do dia cansativo que tiveram e a visita corre o risco de nem conhecer o bebê por ele já está dormindo;
  7. Não encha a mãe de perguntas sobre o parto. Pergunte apenas se foi tudo bem e tranquilo e deixe-a falar na media em que ela queira desabafar.
  8. Não peça para pegar o bebê no colo. Só pegue se a mãe oferecer. Algumas mulheres não gostam que seu bebê fique passando de colo em colo. Se você pedir, ela pode se sentir na obrigação de aceitar somente por constrangimento;
  9. Faça o favor de não beijar o bebê, ainda que seja nas mãozinhas.
  10. As pessoas costumam perguntar sobre o peso e tamanho do bebê, assim como sobre a maneira como está mamando. Todas essas perguntas são plenamente aceitáveis e demonstram interesse e preocupação com a saúde da criança. Se as fizer, evite comparações com outros bebês;
  11. Se souber que a mãe não está amamentando no seio, por favor, não faça críticas, comentários de desaprovação ou depreciativos. Lembre-se de que aquela mãe já pode estar sofrendo demais com a impossibilidade de amamentar e não precisa de você para reforçar sua dor;
  12. Não visite se estiver doente. Espere ficar bem, de verdade. Até um simples resfriado poder ser bastante prejudicial para um recém-nascido;
  13. Não tenha muitas expectativas quanto à recepção dos pais. Entenda que, por se tratar de uma fase de muito trabalho, eles podem não estar preparados para lhe receber com tanto requinte. Às vezes, nem um cafezinho dá tempo de aprontar. Acreditem! Se possível, faça a diferença. Leve um lanche rápido. Eles irão adorar esse mimo;
  14. Não observe com tanta rigidez a organização da casa. No início, principalmente quando os pais são inexperientes, é bem comum que se atrapalhem com a sobrecarga de trabalho que acompanha a chegada do bebê. Portanto, seja compreensivo e se puder, ajude. Lavar uma louça é uma atitude bem positiva nesse momento;
  15. Não tire fotos do bebê sem a autorização do pais. E se permitirem que sejam feitas, não as publique;
  16. Não fume e evite perfumes;
  17. Não critique o modo como a mulher cuida do bebê

Como vêem, é apenas uma listinha básica de medidas que envolvem muito bom senso e a nossa capacidade de nos colocarmos no lugar de pessoa que estão experimentando um momento especial e, ao mesmo tempo, delicado.

Se vocês têm alguma outra medida que consideram importante para que as visitas contribuam com o bem estar da família, em vez de atrapalhar, compartilhem aqui nos comentários.

Até o próximo encontro!

 

Um comentário

  1. Adorei, amiga! Como sugestão, apesar de ainda não ter vivenciado, acrescentaria: “se a mãe for amamentar, a visita deve se retirar do ambiente (a menos que ela autorize a permanência). Nem todas as mulheres sentem-se confortáveis em amamentar na presença de outras pessoas, ainda que familiares”.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s