15 Dicas preciosas para economizar na compra do enxoval

Publicado por

enxoval-do-bebe-30174

Uma das principais preocupação das famílias que esperam a chegada de uma bebê é a despesa que terão com a compra do enxoval. É fato que toda família quer produzir um enxoval caprichado para seu filho, especialmente quando se trata do primeiro bebê. Mas também sabemos que a questão econômica pesa muito na decisão dos pais e, em tempos de crise, ela ganha ainda mais importância.

Pensando nisso, decidi postar algumas dicas de como as famílias podem economizar nessa fase.

  1. Faça um prognóstico de quanto pretende gastar

Nunca vá às compras sem definir um limite para as despesas. Eu sei que fica difícil chegar a um valor quando você não vivenciou a experiência. Mas, você pode obter essa informação com amigos mais próximo ou mesmo contratando um serviço de consultora para enxoval.

  1. Contratar um serviço de consultoria de enxoval

O serviço é fornecido por uma Baby Planner. Essa profissional poderá fazer um prognóstico mais condizente com a realidade do mercado e perfil de interesse da família, além de poder indicar onde comprar os melhores produtos com os menores preços. Em regra, esses profissionais têm parcerias com lojas e serviços essenciais de qualidade, o que se reflete em descontos consideráveis para seus clientes. Assim, a despesa com a consultoria é coberta pela economia que se faz nas compras.

  1. Invista em itens essenciais

Se o orçamento está apertado, a compra dos supérfluos pode ser deixada para um segundo momento. Muitos produtos são adquiridos apenas em razão do apelo do mercado. Alguns deles não apresentam a utilidade esperada e outros nem chegam a ser usados. Para não cometer erros, converse com pais experientes, pesquise em blogs ou contrate a consultoria de enxoval.

  1. Aceite doações, peça emprestado ou compre usado

Alguns itens podem ser usados de segunda mão. Lembre-se de que os bebês crescem muito rápido e o que se comprou hoje já não serve amanhã. Assim, muitos dos produtos usados apresentam um excelente estado de conservação. Às vezes, chegam a parecer que nunca foram usados.

Mas, cuidado: não compre itens de segurança usados. Nunca será possível saber se aquele produto apresenta mesmo a qualidade e a segurança que dele se espera, em razão do próprio desgaste do uso. Este é o caso de um bebê conforto. Como será possível saber se o equipamento não esteve em um acidente de trânsito? Não vale a pena fazer economia neste caso.

  1. Adquira itens versáteis

O mercado tem inovando bastante no desenvolvimento de itens que atendem várias necessidades e faixas etárias. Assim, as famílias podem investir num único produto que atenda duas ou mais necessidades e fases da criança. Este é o caso do berço que se transforma em cama, do bebê conforto que se transforma em carrinho e da cadeirinha de balanço que pode acomodar um recém-nascido ou uma criança mais pesada.

  1. Alugue o que for possível

Já existem no mercado empresas que trabalham com a locação de alguns itens que, por mais que sejam necessários, serão utilizados por pouco tempo e apresentam valor relativamente elevado para serem adquiridos. Esse é o caso das bobinhas de extração de leite. É muito mais econômico alugar, apenas durante os meses em que a mãe está amamentando.

  1. Não compre tudo de uma só vez

Essa dica vale especialmente para os itens de vestuário. Como dissemos, os bebês crescem muito rápido. Prefira fazer compras por fases. Em regra, se aconselha que a primeira compra considere as necessidades do bebê até os três ou seis meses. Aquisições em maior volume só devem ser feitas se se tratar de uma compra no exterior. Considerando, é claro, que você não terá a oportunidade de voltar àquele país tão cedo.

  1. Não invista muito em roupas no tamanho RN

O tamanho RN é muito singular. Alguns bebê pulam essa fase, pois já nascem muito grandes e gordinhos. Portanto, espere para comprar saídas de maternidade, bodies e pijamas quando estiver mais próximo do parto. Com os resultados dos últimos exames, já será possível prever o peso de nascimento do bebê e, assim, saber se ele precisará usar esse tamanho.

  1. Compre fora do Brasil

Mesmo com a desvalorização da moeda brasileira, comprar itens no exterior ainda apresenta muitas vantagens. Lá fora, é possível encontrar marcas de qualidade que não estão disponíveis no mercado local e comprar alguns itens sem ter que pagar a nossa famigerada taxa de importação, que tanto encarece os produtos no nosso mercado. A vantagem de comprar no exterior também diz respeito ao acesso às inovações do mercado mundial.

Atualmente, ficou mais fácil comprar no exterior com o serviço de personal shopping fornecido por Baby Planners. Esses profissionais contam com uma equipe especializada para receber e orientar as famílias, direcionando-as às lojas que apresentam mais vantagem, no que diz respeito à variedade de produtos e economia.

  1. Substitua itens de alta tecnologia por similares mais simples

Apesar de desejarmos o melhor, muitas vezes, um produto mais simples é capaz de suprir a mesma necessidade de uma forma mais econômica. Além do mais, nem todas as pessoas têm as mesmas necessidades de consumo. Alguns itens mais modernos não apresentam qualquer utilidade para determinadas famílias. Por exemplo, qual é a vantagem de comprar uma babá eletrônica que apresenta uma área de cobertura de 300m2, se a família reside num apartamento de 100m2? Adquirir esse produto significa pagar mais por algo desnecessário.

  1. Substitua itens de marcas conhecidas por outras não tão famosas

Da mesma forma, a família menos exigente pode substituir itens de marcas famosas por outras menos conhecidas. Em regra, tendemos a depositar toda a nossa confiança em marcar famosas, desvalorizando as menos conhecidas e por isso pagamos um alto preço pelos produtos. Acontece que esse pensamento nos impede de experimentar o novo e tirar nossa própria conclusão. Algumas marcas, que não investem tanto em propaganda, podem nos surpreender com a qualidade semelhante às mais conhecidas. É só uma questão de se dar a oportunidade de experimentar o novo. É claro que, para ter mais segurança, é ideal pesquisar um pouco a respeito do que se tem falado sobre determinada marca. Hoje em dia, é muito fácil obter tais informação pela internet. Existem, inclusive, muitos blogs que realizam o trabalho de testar marcas novas para publicar aos seus leitores como foi a experiência. Portanto, vale a pena pesquisar.

  1. Reutilize peças do enxoval do irmão mais velho

Essa dica vale para quem já teve a experiência do primeiro filho, mas quem está na primeira vez já pode ir se organizando. Estou me referindo ao cuidado em separar peças em bom estado para usar numa segunda oportunidade. Mais uma vez, eu repito: os bebês crescem muito depressa e dependendo da quantidade de peças que você comprou, não terá tempo de usá-las ou serão pouco usadas. Assim, grande parte das peças de vestuário se mantém novinhas e poderão ser reutilizadas. Portanto, não doe tudo de imediato. Apesar de muitas pessoas precisarem dessas doações, guarde as peças em melhores condições para o próximo bebê. Essa medida cairá com uma luva se os bebês forem do mesmo sexo. Caso isso não aconteça, você poderá aproveitar apenas os itens unissex e doar os demais.

  1. Não invista tanto em sapatos e roupas de festa e passeio

Os pais têm a mania de exagerar na compra de roupas e sapatinhos, principalmente os de primeira viagem. Acontece que esse é o tipo de investimento menos proveitoso, porque os bebês quase não saem de casa nos primeiros meses. Se os pais seguirem as orientações do pediatra, só deverão realizar o primeiro passeio no shopping por volta do 3º mês de vida do bebê. Nesse período, muitas daquelas roupas e sapatos fofinhos já não caberão no bebê. Eu mesma vivenciei essa experiência.

Portanto, tentem investir muito mais em roupas mais simples como bodies, shortinhos, pijamas, conjuntinhos de malha e meias. Deixem para investir em roupas e sapatos de festa ou passeio quando já tiverem algum evento programado.

  1. Na decoração, fuja de modismos e invista em produtos mais artesanais

A procura por produtos que estão em alta sempre se reflete num custo mais elevado. Uma boa saída é adquirir produtos com características mais artesanais, tipo handmade, do que os industrializados. Esses produtos, em regra, têm preços mais baixos. Além do mais, todo mundo tem um parente ou um conhecido que tem o dom para trabalhos manuais e pode produzir algum item da decoração. É o caso de uma tia costureira, de uma avó que sabe bordar ou de uma amiga que faz pinturas. Tenho certeza de que essas pessoas ficarão muitos felizes em participar da decoração do quartinho do seu bebê e você ainda terá a oportunidade de decorá-lo com itens personalizados e carregados de significado e amor.

  1. Redecore o quarto do primeiro filho conservando os móveis

Também se pode economizar bastante com a decoração do quarto do bebê. Se você tiver investido em móveis de qualidade, não há porque substituí-los, considerando que ainda estão em perfeito estado. Às vezes, uma simples pintura renova toda a imagem dos móveis, o que remete o ambiente à uma decoração completamente diferente do quarto anterior. Mesmo que se queira manter os móveis sem qualquer alteração, uma dica valiosa é investir apenas na decoração das paredes e no enxoval de berço e cama. Essas mudanças, por si, já garantem um visual inovador ao quartinho do bebê.

Espero que tenham gostado das dicas e consigam coloca-las em prática!

Se tiverem alguma outra, compartilhem aqui nos comentários. Assim, ajudamos as famílias que se preparam para a chegada do bebê.

Até o próximo encontro!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s