Estilo de vida na gravidez – o que pode e o que não pode? (parte I)

Publicado por

Pilates-GravidezA gravidez chega e a cabeça de uma mulher se tornar um ambiente repleto de dúvidas, questionamentos, ansiedades e inseguranças. A situação se agrava quando se tratam das mamães de primeira viagem. Como se diz por aí, elas piram o cabeção rsrsrs…

O que é justificável, afinal, estão vivenciando uma experiência transformadora, desafiadora e, certamente, a mais incrível das suas vidas. É muito louvável que elas queiram se preparar adequadamente, fazer tudo certinho, garantir que tudo ocorra bem para ela e o seu bebê.

Pensando nisso, resolvi compilar algumas informações sobre o estilo de vida que as futuras mamães deverão adotar já no período gestacional.

Como a lista é longa, resolvi dividir o post em quatro partes; que serão publicadas uma a cada semana. Então fiquem de olho e não percam nenhuma das nossas publicações.

Começaremos com o tema alimentação.

Quais são os cuidados e limitações que um gestante deverá adotar quanto à sua dieta?

Alimentação

gestante_como-comer-melhor

Existe um pensamento corriqueiro em nossa sociedade, mas nada correto, de que a mulher grávida deve comer por dois. Quem nunca ouviu tal expressão?

As coisas não são bem assim. Na verdade, a quantidade de alimentos não deve ser muito alterada. O que mais importa é a qualidade do que se come.

Muitas gestantes preferem buscar um acompanhamento nutricional para garantir que terão uma alimentação adequada em todo o período gestacional. Isso é o ideal! Mas, de uma forma geral, pode-se alcançar uma nutrição de qualidade dando-se preferência a alimentos frescos, evitando os alimentos processados (congelados, enlatados, com corantes e conservantes), mantendo uma dieta balanceada e realizando de cinco a seis refeições por dia.

As gestantes deverão aumentar a ingestão de fibras diária, comendo de quatro a cinco porções de frutas por dia e uma porção de legumes cozidos e salada verde no almoço e no jantar.

A preocupação com a ingestão de proteínas também deve ser considerada. O melhor é dar preferência às carnes magras, como frango e peixe, e à ingestão de clara de ovo, já no café da manhã.

Se a gestante for vegetariana e tiver dificuldades para ingerir toda a quantidade de proteína necessária, deverá procurar o acompanhamento de um nutricionista.

A maioria da grávidas se preocupam muito com seu peso corporal. Devo informá-las que nem sempre esse parâmetro demonstra se a gestação está ocorrendo de forma saudável, se o beber está sendo bem nutrido. Apenas o exame de ultra-som, com indicação do peso e tamanho do feto poderá mostrar se o bebê está se desenvolvendo dentro da curva de normalidade. Muitas mulheres que ganharam pouquíssimo peso ao longo da gestação, tiveram bebês grandes, gordinhos e saudáveis (esse foi meu caso: engordei 9,5 Kg e tive uma bebê com 3,835 Kg e 50 cm), enquanto outras que engordaram bastante pariram bebês abaixo do peso. Portanto, o peso que uma gestante ganha ao longo da gravidez não serve como indicativo exclusivo de que o bebê nascerá com tamanho e peso saudáveis.

Entretanto, a medicina indica uma margem de ganho de peso entre 7 e 14Kg, ou 20% do peso inicial, considerada adequada. Isso, se o peso da gestante no início da gravidez estiver próximo do ideal.

Outra dúvida corriqueira entre as gestantes é sobre o que não ingerir ao longo da gravidez. Então, elaborei uma tabelinha simplificada com algumas informações sobre esse ponto.

Alimento Não ingerir Evitar Riscos
Carne crua ou malpassada

X

Contaminação por toxoplasmose.
Embutidos e defumados

X

Os conservantes, estabilizantes e outras substâncias podem causar alergias, já que o sistema imunológico da gestante encontra-se mais ativo.

Ovo cru

X

Contaminação com a bactéria causadora da salmonela que ocasiona diarreia, vômito e até o parto prematuro.

Peixe e crustáceos crus

X

Contaminação por bactéria, se não for de boa procedência.
Café

X

Aborto e antecipação do trabalho de parto, se tomado em excesso – recomenda-se no máximo 3 xícaras pequenas por dia.

Refrigerante

X

A maioria contém cafeína. As versões zero e light contém mais sódio, o que contribui para o aumento da pressão arterial.

Chá-preto, chá-verde, chá de boldo, chá-mate, chá branco e chá de canela

X

Pedem conter substâncias anti-inflamatórias, que afetam o trato gastrointestinal causando diarreias. Podem conter substâncias abortivas.

Adoçante artificial

X

Deve-se rejeitar os do tipo sacarina, ciclamato e aspartame, preferindo acesulfame-K, sucralose e estévia.

Açúcar refinado

X

Diabetes gestacional, se consumido em excesso.

Álcool

X

Malformação do feto.

Ainda não há consenso médico sobre a necessidade de suplementação nutricional durante a gestação, especialmente em relação às vitaminas. A gestante poderá conversar com seu médico a respeito, mas, em regra, a maioria prescreve suplemento de ferro e cálcio a partir da segunda metade da gravidez.

Matéria escrita para o site Instituto Mãe e publicado originalmente em 29/08/2016.

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s