Estilo de vida na gravidez – o que pode e o que não pode? (parte III)

Publicado por

gravidez_destaque

Esta semana temos mais um post com dicas sobre o que as grávidas podem ou não fazer durante a gestação. Atividade física, fumo e viagens são os assuntos da vez. Aproveitem!

Atividade Física

A atividade física é fundamental para a saúde e qualidade de vida de todas as pessoas e a gestante não é exceção. Os exercícios físicos ajudam no controle do ganho de peso, na minimização de dores e incômodos mais freqüentes, a partir da segunda metade da gravidez, e auxiliam no trabalho de parto. Mesmo as gestantes com alguma restrição médica poderão se beneficiar da atividade física, desde que sejam bem orientadas e acompanhadas.

Uma dúvida bastante comum no início da gravidez é saber a partir de quando os exercícios físicos poderão ser realizados com segurança. É comum o entendimento de que nos três primeiros meses de gestação a mulher deverá ter repouso absoluto e, portanto, ficar afastada da academia. O pensamento se deve ao temor de que o exercício possa causar aborto e se perpetua no meio médico pelo medo da responsabilização por alguma complicação. Assim, os médicos preferem não recomendar a prática de atividade física mesmo quando a mulher apresenta uma gravidez saudável.

Na verdade, essa ideia está, em parte, equivocada. De fato, as gestantes que apresentam alguma condição de risco confirmada pelo médico deverão esperar o transcurso do primeiro trimestre para iniciar a atividade, mas não há justificativa para que uma mulher saudável e com uma gravidez normal espere todo esse tempo, principalmente se já realizava atividades com regularidade.

Apesar dessa liberdade, a gestante deverá estar atenta à modalidade de exercício escolhido, evitando atividades de alto impacto, exercícios que exigem muito esforço, atividades com riscos de quedas e esportes perigosos.

Os exercícios mais indicados são natação, caminhada, hidroginástica e os exercícios aeróbicos de baixo impacto. O rol de exercícios físicos apropriados para uma gestante é enorme, mas a escolha deve levar em consideração as necessidades e preferências individuais de cada mulher.

 Fumo

Comprovadamente, o fumo causa alterações no desenvolvimento do feto. Em geral, os recém-nascidos de mães fumantes podem nascer com baixo peso, o que compromete o controle da temperatura corporal e os níveis de glicemia adequados nos primeiros dias de vida do bebê. Portanto, não existe quantidade de cigarros considerada segura durante a gestação.

Viagem

E a grávida pode viajar? A grávida deve viajar, especialmente porque passará algum tempo sem fazer isso rsrsrs…

Não há qualquer contra-indicação quanto à viagem em si, mas os médicos costumam desaconselhá-la no primeiro e no terceiro trimestres da gravidez. Naquele, por causa da ameaça de aborto que ocorre com mais facilidade. Neste, por causa da proximidade com o parto.

Viagens no terceiro trimestre exigem muito mais cautela se a gravidez for múltipla (de gêmeos), pois há grande probabilidade de o parto ser antecipado. O recomendado é que a viagem ocorra antes da 28ª semana. Já, no caso de gravidez com um único feto, é prudente evitar viagens longas a partir da 34ª semana.

De toda forma, essas são apenas orientações gerais que poderão ser revistas pelo médico ao levar em conta o período da gestação e a saúde da gestante.

Muitas gestantes têm dúvida sobre a possibilidade de viajar de avião, mas a viagem aérea não representa um risco em si. O ambiente de pressurização, as acelerações e desacelerações não oferecem risco para a mamãe ou o bebê. Mas, a gestante deve estar atenta a alguns cuidados como: aumentar a ingestão de água, caminhar a cada 3 horas, pelo menos, e utilizar meias elásticas durante vôos prolongados. Essas são medidas que ajudam a diminuir o inchaço dos pés e relaxar as costas.

Nas viagens de carro, além dessas providências, a grávida deve procurar fazer paradas freqüentes para ir ao banheiro, já que a capacidade da bexiga está reduzida.

Quem quiser ficar por dentro de outras dicas sobre o que uma grávida pode ou não fazer, deve acessar as postagens anteriores nos links que deixei aqui embaixo ⇓

Estilo de vida na gravidez – o que pode e o que não pode? (parte I);

Estilo de vida na gravidez – o que pode e o que não pode? (parte II)

Boa leitura!

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s